TRF discute em sessão extraordinária novos mandados de prisão contra deputados*



Publicado

Luísa Borges Pontes

Autor

Luísa Borges Pontes

Fotos

Data de Publicação

22/11/2017 00:00:00

Facebook

Twitter


Rio - A expedição de novos mandados de prisão contra os deputados Paulo Melo, Edson Albertassi e Jorge Picciani, todos dos PMDB, será um dos principais debates da sessão extraordinária e permanente convocada pela 1ª Seção Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), às 13h desta terça-feira. Os parlamentares são acusados de receber propina da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) e transformar a Casa em um balcão de venda de leis para favorecer empresários. Melo, Albertassi e Picciani foram presos semana passada, mas soltos em menos de 24 horas por votação da maioria de seus pares após a comunicação da Corte que ainda determinou o afastamento dos cargos.

"Os deputados interpretaram a lei segundo seus interesses", avalia Wilson Witzel, juiz federal e diretor da Associação dos Juízes Federais do Rio de Janeiro e Espírito Santo (Ajuferjes). Segundo ele, os parlamentares não poderiam atuar como juízes. Ou seja, deliberar pela liberdade e ainda expedir os alvarás de soltura. "A Constituição Estadual que prevê a revisão da prisão preventiva não se aplica a decisões de juízes federais. Essa leitura está equivocada. E mais: casa legislativa não expede alvará de soltura, isso é competência do juiz", explica.

 

*Do site do Jornal O Dia

 

**Na foto, o Diretor da ESMAFE, juiz federal Wilson José Witzel, participa de debate na Rádio Band Rio