“A MAGISTRATURA ESTÁ SOB ATAQUE” AFIRMA PRESIDENTE DA AJUFERJES DURANTE ATO PÚBLICO DE DESAGRAVO AO JUIZ FEDERAL MARCELO BRETAS



Publicado

Autor

Luísa Borges Pontes

Fotos

Luísa Borges Pontes

Data de Publicação

25/08/2017 00:00:00

Facebook

Twitter


“A MAGISTRATURA ESTÁ SOB ATAQUE” AFIRMA PRESIDENTE DA AJUFERJES DURANTE ATO PÚBLICO DE DESAGRAVO AO JUIZ FEDERAL MARCELO BRETAS

Nesta quinta-feira, 24 de agosto, a sede da Justiça Federal da Avenida Venezuela, centro do Rio de Janeiro, foi palco de um ato público de desagravo ao juiz federal Marcelo Bretas. Durante o evento, que reuniu magistrados e membros do Ministério Público Federal, além de políticos, artistas e populares, o Presidente da AJUFERJES, juiz federal Fabrício Fernandes de Castro, criticou a postura do ministro do STF, Gilmar Mendes, em relação a seus comentários acerca de decisões proferidas em 1ª instância na Operação Lava Jato pelo juiz federal Marcelo Bretas, associado da AJUFERJES, que também esteve presente no ato, juntamente com o Presidente do TRF2, André Fontes, o Presidente da AJUFE, Roberto Veloso, a procuradora da República no Rio de Janeiro, Maria Cristina Cordeiro, o senador Randolfe Rodrigues, da Rede-AP, os deputados federais Chico Alencar e Alessandro Molon, os deputados estaduais Marcelo Freixo e Eliomar Coelho, do PSOL, além de artistas como Caetano Veloso, Paula Lavigne, Thiago Lacerda, Christiane Torloni, Marcelo Serrado, Maria Padilha, Lucinha Lins, Monica Martelli e o cantor Jorge Vercilo. Ademais, marcaram presença o Vice-Presidente da AJUFERJES, Walner de Almeida Pinto, e o Diretor Cultural da associação, Juiz Federal Wilson José Witzel, a Vice-Presidente Cultural e Social, Carmen Silvia, e a Diretora Tesoureira, Caroline Figueiredo, todos juízes federais e colegas de Bretas.

"A Magistratura está sob ataque. Esses projetos de lei do abuso de autoridade e de crime de violação de prerrogativas têm alvo certo: acabar com a Operação Lava-Jato e seus desdobramentos. A independência do juiz é um patrimônio do povo brasileiro, e sem ela estaremos em uma ditadura nas mãos do crime organizado. O apoio dos artistas ao nosso ato é de grande importância. Julgar também é uma arte. A Justiça é arte quando desempenhada com amor, e quando esse amor inspira a coragem. E os juízes federais não serão intimidados" – afirmou o Presidente da AJUFERJES.

Ao final do ato público, o artista Caetano Veloso reiterou o apoio à magistratura e ao Ministério Público, destacando a importância do trabalho destas entidades, e frisando que a visibilidade dos artistas diante da opinião pública concede credibilidade e força a este tipo de movimento.

“Nós somos parte da sociedade, e uma parte visível da sociedade, é bom que se saiba que a sociedade está se movimentando. Faz muitos anos, eu escrevi um texto em que eu dizia, que a independência do Ministério Público talvez fosse o ponto mais importante da Constituição de 88, e agora nós vemos que é momento de dizer isso com mais veemência, o Ministério Público e os juízes federais, e que haja respeito pela ação que essas pessoas estão desenvolvendo no Brasil” – pontuou Caetano.